quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Vou deixando...

Vou deixando
Que meu anjo está olhando
Lá de cima, nas alturas
A pequeneza no caminho
Vou andando vagarinho
Que lá de cima o meu anjo
Não me deixa ir sozinho

Vou deixando
Que o vento vai levando
Águas que rolaram,
Continuam por aí rolando
E eu vou deixando

Vou deixando no caminho
Sementinhas de bom grado
Do bem e de valor
Vou deixando as sementes
Para males mal curados
Para pesos não tirados
A cura para toda dor

Das sementes vão brotar
Os amores que não cresceram
Os dizeres que não disseram
E a paz que não tiveram

Vou deixando as sementes
E com elas, os seus frutos
Para quem quiser um dia
Tirar proveito disso tudo
Sequer eu saberia a data
Em que estivesse maduro
Mas do verde que se sente
O sabor azedo e profundo
Faz lembrar o gosto de açúcar
Que terá o nosso mundo

- Débora Paixão

5 comentários:

Derywendell disse...

Poema doce,
como sobrinha recém chegada.
^^

Daíse disse...

Adorei !!!!!
Me encantei !!!!!
Voltarei sempre!!!!
Bjinhos !!!!

Mateus Borba disse...

Lindo, muito. Das coisas que assopram leve e trazem beleza.

Beijo.

Paixão disse...

Muchas gracias :)

Carlos disse...

Adorei, Deh! Acredito muito nisso!!
Beijo!