quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

ADIVINHA


vou pousar em você
o meu corpo
mas vou pousando
aos poucos
me pondo em ti
aos pedaços
te por pra cima
e pra baixo
ou do lado
onde melhor me encaixo
vou tapar seu olhos
e cobrir sua boca
com minha vontade louca,
de cobrir-te inteiro
vou espalhar-me
por todo canto
e pelo meio
há de sobrar uma parte sua
que ainda não conhecera a minha
mas é apenas ainda
e direi em seu ouvido
encostando-lhe a ponta da língua
o que não falarei agora
para ver se você adivinha...

- Débora Paixão

6 comentários:

Branna L. disse...

com tudo isto, duvido que ele não adivinhe. ahahhaha

Nem preciso dizer, neh!? Incrível!
E o ritmo? Do jeito que pede o texto.

Só vc mesma, Paixão!

Carlos Cruz disse...

Nossa! Quintura! rsrs
Esse jogo de advinha parece bom rs

Maravilha de poema; o ritmo, o que mostra e as entrelinhas... demais!

Paixão disse...

Obrigada Branninha!
Esse tá muito danado né Carlão? hahah

Beijos, amo "tus"

Mao Punk disse...

Genteeee... Chegará o dia que eu nem terei palavras para comentar teus versos. *-* Coisa linda!!!

Beijos!! ^^

Van *-* disse...

Ritmo quentissimo!! Esse jogo é muito bom!!

Mateus Borba disse...

Linda e elegantemente quente. Você é poeta de veia, menina.