quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Apenas


Amor
Às vezes cabe na gente
Outras transborda
E se espalha 

Medo
Às vezes ajuda gente
Quando se vai
E não atrapalha

Amor e medo
Não combinam
Onde um mora 
O outro se manda
Um fica 
O outro cai fora

Se escolhe o medo
O amor encolhe
E corre

Se o amor te ganha
Você escolhe:
Ou transcende 
Ou morre.

Morrer de amor
É uma morte
Que vale a pena

Morre tudo
Que não o é
E fica sobrando
Amor, apenas.

Débora Paixão 

3 comentários:

Mateus Borba disse...

Lindo demais.

Paixão disse...

Nunca como antes. Apenas como o agora pode ser ...

Carlos Cruz disse...

Lindoooo