quarta-feira, 7 de julho de 2010

não fosse isso e era menos; não fosse tanto e era quase

Se fossemos menos, o que seríamos? Se fossemos mais, seríamos o bastante? E não fossemos?

Se somos o que fomos, o que somos e o que seremos, não passamos de uma montagem.
De partes que nos faltam, por terem quebrado e na hora da colagem não haver mais espaço. Ou como espaços que deixamos propositadamente vazios para encaixar o que esperamos que venha ao nosso encontro, mas sempre tem peças que não encaixam.
Ao que parece, somos buracos, espaços em branco, vazios. E o que fazemos quanto a nós mesmos é juntar todas as nossas partes.
Somos por fim a soma de todos os nossos cacos, nem mais nem menos.
(Débora Paixão)

* o título é obra do poeta Paulo Leminski.

9 comentários:

gizcolorido disse...

Somos mosaico, Débora!
Feitos sim de pedaços.. onde a beleza da obra se encontra somente na mãos e coração do artista!

Saudade de vc!

Lice

Yago Nogueira disse...

Eu acho que somos, como você disse, feitos de pedaçõs que se encaixam, porém esse quebra-cabeça da vida, ao meu ver, nunca fica completo, sempre vai faltar uma peça. Adorei o texto, tá de parabéns como sempre,

Beijos.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Cacos coloridos espalhados pelo chão.
E se a gente fizesse um vitral?

Plantei um pé de sol.
Vai um pouco de luz aí?

Beijo meu.

TAIS MOREIRA disse...

Gostei muito do seu texto, Débora! Concordo na parte em que diz: "Somos por fim a soma de todos os nossos cacos, nem mais nem menos". Parabéns pelo blog!
Beijos

Por que você faz poema? disse...

Sou feito dos cacos que deixo pelo caminho,
incenso fosse isso.

disse...

Menina, que texto é esse?! Nossa lindo demais!

"(...)De partes que nos faltam, por terem quebrado e na hora da colagem não haver mais espaço."

E muitas vezes quando se quebra em muito pedaços não pode se colocar jamais fica então, o espaço, o vazio.

Paixãozinha, amei muito esse texto!

Beijos.

Thiago disse...

É paixão, Lindo-lindo seu texto. Acredito que somos mesmo esse mosaico de emoções e sensações, sempre vázio, por já ter se quebrado.

Parabéns!

Nane Martins disse...

Acho que somos mesmo uma montagem, um quebra-cabeça. Que desinteressante seria sermos inteiros, acabados. Seríamos previsíveis, encontrados, achados, feitos. Nada a retomar.
Serámos MESMO sem graça!

bjusssssssssss

Paixão disse...

Obrigada a todos pelas visitas e comentários.
Adoro quando as pessoas captam a essência do que escrevo ainda que das formas mais variadas possíveis, cada um com seu jeitinho...

Obrigada, mesmo!

Beijos