quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Vivo a flor da pele



Vivo a flor da pele
Com pele-pétala
E pelos-pena
Que dançam fácil
No vento da arte

Sou sensibilidade
Por toda parte
Espinho em forma de flor
Que não espeta
O outro nem ninguém

Respirando poesia
No que for e onde vou
Sendo o pó que a terra ergue
Enquanto as nuvens
Vão e vem...

- Débora Paixão

6 comentários:

Alê disse...

Seja sempre: inspiração!

Patricia Thomaz disse...

que venhas mais sensibilidades como essa. Amei.

. pamela moreno santiago disse...

Bom dia.
Desculpa o incomodo, mas venho hoje pedir que olhe com carinho meu blog de resenhas literárias, o O Leitor.
Se puder fazer parte, agradecemos.

Obrigada e uma ótima quinta-feira. Beijos,

Pamela.

Fernando Gonçalves disse...

Olá, parabéns pelo seu blog.
Te convido a conhecer o meu,
http://carmasepalavras.blogspot.com/

;)

Bruno Gaspari disse...

Belo e inspirado poema!
Parabéns por seu blog,
abraço.

Thiago Domingues disse...

Que lindo Dézinha!
Um 2012 com muita poesia no olhar e no coração!
\o/