terça-feira, 1 de maio de 2012

poesia espremida pela falta de tempo


resumo de tudo que me acontece
quando o cansaço me desaparece
e a vida parece me engolir

quando tudo que vejo me dorme
e em meu peito incha vontade enorme
de hora em hora querer sumir

se não dou conta dessa demanda
pelo caminho comigo anda
a poesia que não separo

a poesia anota faltas e excessos
das coisas tantas que eu não meço
e que sempre me deparo

a poesia me vem ou não
sempre que piso no chão
ou me perco no espaço

a poesia me não ou me vem
sempre que vou e me vejo além
fora do meu compasso

- Débora Paixão para o amigo Renato Konrath

10 comentários:

Carlos disse...

Todo mundo carregasse a poesia consigo, em que mundo a gente viveria, hem?!

Renato Konrath disse...

Uauuu ... Que promoção legal! Fiz uma amizade e ganhei um poema!

Zuza Zapata disse...

Lindo poema, lindo blog!

Beijos

universotranquilo.blogspot.com.br

zuzazapata.com.br

Tamára Roots disse...

Que lindo!
A poesia alimenta a alma dos seres cansados. Obrigada por nos alimentar.
Paz e Luz.
http://tamararoots.blogspot.com/

Mateus Borba disse...

Sempre melhor.

Mateus Borba disse...

Obrigado, espero que não canse mesmo. Fico feliz por saber que você gosta, até porque gosto demais do que você escreve.

Um beijo bem grande.

Anônimo disse...

Manero esse blogger! Agora amigo...sei, aham! Para quantos "amigos" já fez poesia???? Kkkkkkkkkk!!! XDDD Sorte dos Renatos & Hermes q t inspiram!!!

Paixão disse...

Que papo é esse Anônimo? rs
Pra falar a verdade, para poucos ... e sorte a minha ter amigos que me inspirem ;)

Beijo,
obrigada pela visita!

Anônimo disse...

Srta. Paixão, falando em inspiração, você acredita que existe conquista (afetivamente falando) ou as escolhas na vida são feitas pelo que as pessoas são condicionadas a aceitarem como "a verdade e/ou padrão para a visão de mundo que passam a ter"? (E nem sei se pode fazer pergunta aqui!)

Paixão disse...

E eu que joguei conversa fora e ganhei uma inspiração? rs