quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Pergunte a si mesmo




Com qual frequência você faz perguntas a si mesmo?

Eu sou feliz? O que me faz feliz? Qual o preço da felicidade?
Quanto valem meus princípios? O que eu posso esperar de mim? O que não posso?
O que posso esperar dos outros? O que não posso?
Será que vale a pena me arriscar? Quando virá outra oportunidade como essa?
O que eu tenho feito de bom para os outros? O que eu tenho feito por mim?
Por que seres humanos são egoístas? E por que tantas vezes eu me recuso a assumir que também sou?
O que é verdadeiramente eu? Quanto do mundo há em mim? E quanto há de mim no mundo?

Eu não tenho respostas para nenhuma dessas perguntas, a intenção é sempre essa. Mesmo que eu tentasse explicar, não conseguiria, não poderia.
Nós sempre sabemos as respostas, mas não adianta tentar expressar de qualquer forma que seja. A resposta está além de nós e nós apenas sentimos. Transcrevê-las é algo que está fora de nosso alcance, eu já perdi meu tempo tentando, mas sinceramente prefiro encontrá-lo em mim, sempre perguntando...


Débora Paixão

2 comentários:

Carlos disse...

As perguntas permanecem, mas as respostas vão mudando com o tempo e as novas experiências.

Perguntar-se sempre é mesmo necessário.

Um abração, menina que eu amo!

disse...

Por que tem coisas que lemos e pensamos, mas é exatamente assim que me sinto???


"Eu não tenho respostas para nenhuma dessas perguntas, a intenção é sempre essa. Mesmo que eu tentasse explicar, não conseguiria, não poderia."



Seu blog é lindo... Estarei sempre aqui!