sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Troço estranho

"parece essa tal saudade que falam
que eu nem sei donde vem
uma vontade sei lá de quê
uma série de emoções conflitantes
um querer expressar
e ao mesmo tempo calar
querer fazer e não ter pique
e tirar força para lutar
de um lugar que não conheço
sentir que tudo mudou
e desejar que tudo
volte a ser como era antes
ainda querendo que mude mais...
no comecinho eu bem achei que era doença
mas sei não, olhando de relance
isso me parece um bocado com amor"


Débora Paixão

8 comentários:

Marí disse...

"...no comecinho eu bem achei que era doença
mas sei não, olhando de relance
isso me parece um bocado com amor"


Eu já disse que vc é linda?? Eu já disse que me encanta sua afinidade* com as palavras??

saudades d'ocê!
Beiijos*

Cássinha disse...

Lindoo aqui!! Tô seguindo! Beijos!

Paixão disse...

Mari sua linda..
Obrigada de verdade!

Cássinha, seja bem-vinda e obrigada tbm!

bjs

Krystal Troyano disse...

"Ainda querendo que mude mais"
Adorei, você escreve muito bem.
Parabéns
Beijos <3

Paixão disse...

Obrigada Krystal..
beijo grande!

Anônimo disse...

Esses estranhos sentimentos, que parecer fazem estranhos os sentidos. A alma é tão profunda e insondável que às vezes nos confundimos e surpreendemos com os possíveis que ela tem para nos brindar. Ler esse poema é ter a sensação de estar no olho do furacão. No centro criador do sentimento de outra pessoa. É ser quem se é e ser outro ao mesmo tempo.

"isso de querer
ser exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além"

Captaste, captei.

Anônimo disse...

Ops! Gutemberg Soberano, por default!

Paixão disse...

Gutem, vc me impressiona as vezes!
Parabéns! ..
bjs