quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Sem espaço pra tristeza

Aqui, na minha poesia
Não cabe tristeza
Tampouco na minha vida...
Quiçá em outros textos,
ou noutra freguesia...
Faça as malas e te manda,
Tem gente que de ti precisa.
Eu não quero você aqui,
Nem por perto e nem de vista
Pode pegar a estrada
e se quiser, morra na pista!

(Débora Paixão)

8 comentários:

Mao disse...

E nesses sutis versos é possível sentir que a tal tristeza já pegou a estrada!
Será que ela morreu ou será que se converteu em sorrisos e pegou carona nesses versos? ^^

Nicolau Ponte Preta disse...

Olá td bom estou divulgando este Doc.
Se puder assitir, valea pena.Obrigado.

http://nosolhosdaesperanca.blogspot.com/

Resenha


Jânio é um rapaz de vinte anos que foi preso na orla da praia da Cidade de Praia Grande confundido de fazer parte de um grupo de jovens que promoveram um arrastão. Mesmo sem provas ficou preso durante 11 meses. Leide e Francisco a mãe e o pai de Jânio precisaram lutar para provar a inocência do filho, enfrentando a principal dificuldade que esbarra num problema social ainda não resolvido no Brasil.

"Ser pobre é ser culpado até que se prove ao contrário?"

Thiago disse...

Adorei.
é exatamente isso, impor, e dizer adeus ao que não te faz bem.
Parabéns, ficou o texto ficou perfeito. Pequeno, engraçado e inteligente.

Yago Nogueira disse...

Boa Paixão, adorei saber que não irá ser
comum encontrar a tristeza por aqui, afinal... as vezes ela passa tempo demais por perto, não de mim, mas dos meus amigos, aioueioae,
adorei o poema, como sempre.

beijos.

Pipa. Agora eu era o herói. disse...

Uma pausa pra respiração...


Este é o famoso vai!!!
E eu não fui.


Que lindo!

Beijo meu

Marí disse...

Que lindoo... *_*

alias, não só a poesia, mais seu blog tbm...
tá tão encantador =)


Um beijo*

Paixão disse...

A tristeza cabe em muitas poesias sim! rs
É que eu gosto de ludibriá-la sabe? Afinal, tenho que decidir quem engana quem, antes eu enganá-la do que ela a mim.. haha

Obrigada meus queridos!
Beijos

Van *-* disse...

Me fez lembrar de uma música: "Oh tristeza,me desculpe, tô de malas prontas, hoje a poesia veio ao meu encontro já raiou o dia vamos viajar...."
É isso aí não vamos dar vez pra tristeza não.
Beijos