segunda-feira, 2 de maio de 2011

tudo eterno que desmancha ...


tudo eterno
que desmancha
antes do tempo
tende ao belo
e finda triste
nem mesmo
a pureza do que
quer que seja
ao tempo resiste


- Débora Paixão

11 comentários:

Alê disse...

E como resiste...

Patricia s2 disse...

Sim. Triste ver que no fim, as vezes, nem o belo resiste.
bjs linda.

Anônimo disse...

Nada supera o tempo.

E o layout tá muito bom! Mas também não resistirá ao tempo, certo Paixão? rs


Anônimo não anônimo.

Nielson Alves disse...

Achando o meio das coisas, e não o inicio e o fim, tudo é lindo!

Gosto das construções de suas palavras, é um dicionário de significados, de gestos e gostos.

Beijos poetiza

Fred Caju disse...

Como disse o Marx: tudo que é sólido desmancha no ar.

Paixão disse...

*-*

Cáh disse...

Olá!

a começar adorei o titulo do teu blog.... são tantas coisas que ficam no ar!

E caramba, é mesmo como disse, nada resiste ao tempo.


Um beijo

AnaCris (Nika) disse...

Moça! obrigada pela visita e comentário.
Gostei foi muito de suas letras, viu? Escreves com alma e com zelo pelas palavras.
gosto disso.

não sei se conhece, mas faço parte do EITA! Sarau. Se não estiver em sampa, pode participar pelo blog, caso queira. Dá um pulo lá!

beijo grande!
http://eitasarau.wordpress.com/

Ulisses Reis ® disse...

Te achei e conheci e realmente amei o estilo e tua poesia, parabéns, beijos !!!


Peixes e Paixão

Muda só que nunca silenciosa
Pois mudar requer o querer
Mas querer pode cansar
E a canção sublime é estar
Quando é, pode se revelar
Na mudança do ser e estar
Cada dia um pouco cantar
Somando cada pedaço que foi
Nunca vai se esgotar
Pois o barulho vai de alertar
Que a evolução e mudança
Faz Tudo ficar no ar . . .

Ulisses Reis®
05/05/2011

Para Débora Paixão

Paixão disse...

ô Ulisses, que presente lindo ..
muito obrigada, eu adorei!

cada dia um pouco cantar ...

lindo!

Xandy Britto disse...

Genial. XB