sexta-feira, 18 de março de 2011

Mentira

de amor previsível
é vísivel que estou farta
cartas, bilhetes, flores
amores que vêm
e passam

moço que esconde
este amor onde não vejo
tenho um desejo contido
de dizer-lhe o indizível,
mas esqueço

(Débora Paixão)

8 comentários:

Pâмєℓℓα Vαsconceℓos disse...

Lindo blog *--------*
Seguindo.. beijo

KIKACARVALHO disse...

... lembrou Clarice Lispector.

bjs e parabéns, texto belo!

Nina disse...

Você sempre me surpreende, ta lindo, ta perfeito!
*-*

Nina disse...

Eii compartilhei sua poesia no meu face, vai lá ver! rsrsrs
http://www.facebook.com/profile.php?id=100001419392155#!/profile.php?id=100001419392155

Jim Carbonera disse...

ééé tem gente q ta atras de moço ja faz um bom tempo!

Belos versos, linda poesia!

Bjss

http://www.estilodistinto.com/

Noe* disse...

Muito bom, dona Débora Leminski :)

Paixão disse...

obrigada companheiros! rs

beijos

Mateus Borba disse...

Bonito isso. Leminski pairando sobre os versos.

Beijo.