domingo, 6 de dezembro de 2009

Um historinha melosa, cheia de frases clichês.

Naquele momento ela pensava que não poderia existir no mundo uma sensação pior que aquela e disse:

- Eu não posso perdoá-lo. (Mas no fundo ela queria sim.)

Ele sabia que tinha errado, e tentou corrigir utilizando argumentos que para ele mesmo eram desonestos demais para serem considerados válidos e ele sentia que não merecia de fato, aquele perdão, mas ainda assim tentou consertar o mal que havia feito:

- Você sabe que eu te amo e não poderia magoá-la intencionalmente. O que eu fiz foi sem pensar.
- Por favor não insista. Não vê que isso dificulta ainda mais as coisas?
- Você também gosta de mim, dá pra sentir essas coisas. Eu sei como você se sente quando eu te toco, quando eu beijo você...eu vejo como você fica quando me ouve dizer que te amo mais que qualquer coisa no mundo...
- Também não é assim, eu poderia muito bem sobreviver sem isso tudo. Eu vivia muito bem antes de te conhecer e na verdade, depois de me envolver contigo só tive dor de cabeça. Não posso ficar com alguém que faz mal para mim. Você sabe que faz ... (Na verdade, ela só estava sendo durona. Ela não queria parecer fraca. Não, ela não era. Na cabeça dela ela não podia ser.)


Agora ele estava realmente arrependido, pois percebeu que ela era tudo que ele tinha. Ele sim era fraco demais para viver sem ela. Estaria perdido no mundo. Ela o mantinha em equilíbrio. O preço a pagar por um erro, as vezes é caro demais, e mesmo assim tem vezes que insistimos em errar. Pior é que na maioria das vezes, a gente pensa sim, entretanto damos mais atenção a emoção do presente do que o valor do passado ou a estabilidade do futuro. Não dá para conviver com peso na consciência. A gente se liberta de vícios, mas a dor de um erro nos aprisiona. Só ela conseguia fazer com que ele se acalmasse quando seu único desejo era que o mundo todo explodisse, e para isso bastava apenas um simples: Amor, não fica assim, você sabe que vai passar... acompanhado de um beijinho no pescoço ou no canto da boca. Mas ele era, sobretudo fraco demais. Não podia dizer essas coisas. Era estranho pensar em si mesmo como uma criatura tão dependente. Mas não era hora de ser egoísta, embora tenha sentido uma tremenda vontade de chorar disse:

- Me perdoa, amor! Você tem razão. Eu não sou bom o bastante para você.

Foi tudo que pode dizer naquele momento. Ela sentiu uma vontade enorme de abraçá-lo, mais do que em qualquer outro momento na sua vida, mas só pode dizer:

- Eu sei, e é por isso que acabou! Ou está acabando...tente não me procurar, vai ser mais fácil para esquecê-lo. Eu te amei e neste momento grande parte de mim ainda te ama, mas ela luta com uma outra parte que está sofrendo demais com isso tudo e prefere acabar logo com isso, essa outra é mais forte. (Tem que ser)

Embora ele soubesse que suas palavras poderiam receber essas respostas, não estava preparado para ouvi-las. Então ele se aproximou para beijar sua face, pela última vez e ela recuou, ainda querendo grudar selvagemente nos seus lábios, tomada por um desejo que gritava dolorosamente. Levantou e foi embora, sem dizer mais nenhuma palavra e segurou o choro.

Ele ficou sentado ali, embaixo da árvore, pois notou que não tinha força para levantar...e permaneceu ali por algumas horas sentindo o cheiro da grama molhada, iluminado por uma dúzia de estrelas no céu...



Débora Paixão

8 comentários:

Geraldo de Barros disse...

Bacana suas prosas também, gostei, mas acho q vc deve ir mais além, acho q essas histórias estão pedindo para viver por mais tempo, quem sabe um romance?! :)

Beijo
do Ge.

Buh disse...

Adoreiii
Parabéns
Bju

Paixão disse...

Obrigada pela visita e pelo comentário Buh!
Volte sempre que quiser! :)

Gê, eu sinceramente não gosto de escrever isso .. não tinha nada pra fazer e resolvi arriscar algo que não é meu forte ... só pra ver no que ia dar! rs

De qualquer forma, obrigada mesmo aos dois!

Beijos :*

Katina disse...

Nossa Deh,ficou lindo...tbm axu que se vc quisesse escreveria um bom romance...mais gosto assim,pq posso imaginar o final que eu quiser...=]
Bjuus flor!
Te amoo!!=]

Paixão disse...

é aí que está ... as coisas que ficam no ar! haha
adoooro isso!

Fausto Suzuki disse...

Quantos relacionamentos não terminam dessa forma?
Mas tenho mais pena doa que começam assim.
Parabéns.

Paixão disse...

As pessoas desistem fácil, por achar que tudo é fácil. Tem preguiça de se esforçar ...
Por isso essas coisas acontecem!

Obrigada pela visita!

bjs

Carlos disse...

Eu me vi nessa cena num passado não tão distante, rsrsrs

Mas o peso na consciência passa um dia. A vida precisa seguir, né?

Pra mim seguiu e bem!

Só um comentário: escrita é assim mesmo. Exercício, erros, reflexão, evolução. Não dá pra melhorar o que não se arrisca. Eu acho um bom começo.

Abraço, querida!!!